O título explica tudo, não? São teorias cá do Ventura, bem-aventuradas (se os visitantes assim o quiserem) e, apesar de paranóicas, até farão algum sentido. E...na pior das hipóteses, pelo menos darão para sorrir.

torsdag, desember 14, 2006

Filosofia da unhaca mindinha


Há quem diga que é de uma "tuguidade" atroz o acto de deixar crescer a unha do dedo mindinho da mão. Se calhar até será, para os puristas da geometris. Isto porque há uma assimetria que resulta da diferença dessa unha perante as unhas dos outros dedos, todas tão uniformes e direitinhas... Então mas nós queremos uma sociedade homogénea ou defendemos o direito à diferença? Então mas já não chega o facto de o mindinho ser um dedo que, desgraçado, está sempre atrás dos outros, agora nem pode dar-se ao luxo de ser original na extremidade? Vejamos a falta de democracia no mundo dedante. O polegar é multifuncional: pede boleia, dá ares de "fixe" e aprova tudo (ou não). O indicador tem um nome auto-explicativo, certo?... Já o dedo médio (literalmente, "o do meio") tem uma utilização principalmente ofensiva, sendo encarado com algum receio. O anelar é o mais vaidoso, recaindo nele a penosa tarefa de transportar os círculos dourados do comprometimento (ãh, saíu bem agora? tanta palavra para dizer "anéis"...) E o mindinho, serve para quê? Ok, ajuda o pessoal do metal a fazer aquela coisa que parecem uns chifres, mas aparte disso... Agora se o mindinho se munir de uma bela unhaca na ponta, aí já o caso muda de figura. Dinheiro em cotonetes - nunca mais! Palitos gastos - jamais! Limpeza nasal - a toda a hora! Tesouras e canivetes - dispensadas! É todo um manancial de poupança que nasce desse acto tão simples de cortar as outras unhas e deixar esta crescer em todo o seu esplendor. Vamos todos fomentar este hábito e dar comprimento às unhacas mindinhas deste país!

1 Comments:

Anonymous imcamota@sapo.pt said...

é verdade, sissinhor... o mindinho e a sua unha são o verdadeiro canivete suiço genuíno... made in Portugal...

Bom ano, Jorge!
E um dedo médio virilmente esticado, com o indicador e o anular correspondentemente enrolados, de cada lado, à antiga portuguesa, virados para o Sócrates e companhia (a começar pela MiLu das escolas)!
zmMota

lørdag, januar 13, 2007 7:52:00 a.m.

 

Legg inn en kommentar

<< Home